Confira 5 dicas que podem impactar na carga tributária que a sua empresa recolhe

Quando pensamos nas finanças da empresa, às vezes, esquecemos que não estamos falando apenas de faturamento, de investimento, de folha de pagamento, etc. Também estamos falando de carga tributária.

Isso mesmo, é importante ter em mente que alguns detalhes como a escolha do regime tributário, por exemplo, podem implicar em melhores resultados financeiros para o seu negócio. E então, você e seu contador estão atentos a possibilidades como essa? Confira cinco dicas que podem ajudar a sua empresa a ter um melhor desempenho nas finanças!

1. Atenção ao regime empresarial

À primeira vista, manter uma empresa optante pelo regime do Simples Nacional pode parecer uma escolha mais interessante do que as alternativas do Lucro Presumido e do Lucro Real. Porém, há casos em que sair da simplicidade de recolher apenas um tributo unificado mensalmente pode resultar em maior economia.

Isso porque algumas empresas não-optantes pelo Simples Nacional podem obter benefícios fiscais em alguns segmentos. Portanto, é preciso fazer os cálculos e descobrir qual das alternativas é mais viável para o seu negócio. Mas atenção! Aqui não há regra! Cada caso é um caso e mesmo empresas idênticas podem ter modalidades de regimes diferentes para recolher menos impostos.

2. Equilibre pró-labore e dividendos

Um pró-labore alto pode não ser a melhor opção financeira para um empresário. Se não lembra o que é pró-labore, saiba que é o salário que o dono [ou sócio] recebe por trabalhar no negócio. Ou seja, como qualquer salário, há incidência de imposto de renda e contribuição previdenciária, tributos que não incidem sobre os lucros [também chamados de dividendos].

Vale lembrar que os lucros e dividendos se diferem do pró-labore, já que a distribuição dos lucros equivale à remuneração do investidor. No contrato social da empresa é interessante avaliar a inclusão de uma cláusula sobre a distribuição antecipada de lucros através de balanços levantados para essa finalidade. Para ficar claro, é bom ter em mente que antecipar dividendos pode reduzir a carga tributária sobre o empresário.

Porém, é preciso estar atento e contar com ajuda profissional de um contador, pois há regras quanto à escolha desse método. Para que uma empresa possa retirar dividendos, ela precisa necessariamente ter lucro. Portanto, se a sua companhia está bem, essa alternativa pode ser mais interessante. Agora, se a empresa está mal, talvez seja mais viável ficar com o pró-labore, caso contrário não haverá receita suficiente para recolher dividendos compatíveis com o que você espera.

Lembre-se que o pró-labore é uma despesa para empresa, e se ela não está bem com seus resultados, a depender do valor estipulado pode acarretar em redução de lucros ou aumento de prejuízo.

3. Não deixe acumular: pague impostos em dia

Essa dica se aplica a praticamente todos os pagamentos que a sua empresa precisa fazer. Recolher os impostos em dia significa pagar menos impostos. Isso porque, multas e juros podem aumentar de forma considerável o valor final a ser pago, dinheiro que sairá do seu caixa desnecessariamente.

O melhor antídoto para isso é o controle rígido das finanças. Tenha o comando das finanças da empresa e, se possível, pague as guias sempre dentro do prazo. Um dia sequer de atraso já é o suficiente para que você desperdice dinheiro. Se não tiver condições de pagar em dia, parcele as dívidas em atraso, mas não deixe que elas se acumulem de forma indiscriminada.

4. Evite o barato que sai caro

Alguns empresários ainda têm a infeliz percepção de que vale a pena sonegar impostos. Esse é o famoso “barato que sai caro”. Além do risco que correm, quando são pegos se veem diante de multas e juros que, somadas, acabam muitas vezes por inviabilizar um negócio.

O artigo 1º da Lei 4.729/65 trata das condutas que resultam em crime de sonegação fiscal. E a Lei 8.137/90 define os crimes contra a ordem tributária. Acredite: não vale a pena correr esse risco. Seja inteligente e encontre outras formas legais de reduzir a quantidade de impostos a serem pagos. A ilegalidade nunca é o melhor caminho – e não deveria nem sequer ser uma opção.

5. Adote tecnologia e conte com profissionais

Do começo ao fim deste texto, você pode ter percebido que uma palavra ficou no ar, mesmo sem ter sido citada. Sabe qual? Planejamento. Não há como ser bem-sucedido com relação aos tributos se não houver um controle rígido sobre essas informações. Mesmo que você conte com bons profissionais ao seu lado, eles precisam de ferramentas adequadas.

O uso de softwares de gestão empresarial e contábil é o melhor caminho para evitar problemas. Simples, eficientes e acessíveis a empresas de qualquer porte, eles permitem automatizar certas tarefas e ganhar tempo. A partir de relatórios precisos, tomar decisões sobre o negócio ficará muito mais fácil.